Ad
Ad
Ad

Em troca, a quarentena deverá ser prorrogada indefinidamente

A situação atual gerada pela pandemia da Covid-19 está sendo explorada pelo magnata globalista George Soros para impulsionar seus negócios e sua agenda “comunista”

Soros calcula que mantendo o Isolamento Total , em dois meses , o Brasil estará literalmente inviável financeiramente.

Repórter investigativo argentino afirma que o magnata globalista Georges Soros está de olho no Brasil e faz de tudo para enfraquecer o atual presidente

A situação atual gerada pela pandemia da Covid-19 está sendo explorada pelo magnata globalista George Soros para impulsionar seus negócios e sua agenda “progressista”, e a América Latina parece estar no centro de sua atenção. Soros está de olho no Brasil, e articula para enfraquecer ao governo Bolsonaro, pois sua queda significa, para ele, ter o caminho livre no país.
Quem afirma isso é Nicolás Morás, um jornalista investigativo da Argentina, que recentemente divulgou a informação de uma possível ligação telefônica de Soros ao presidente Alberto Fernández, na qual o lobista teria oferecido auxílio financeiro de 20 bilhões de dólares e ajuda na negociação de dívidas.

Mas nada é de graça. Em troca, o governo argentino deverá prorrogar indefinidamente a quarentena, liberar o aborto, impulsionar uma reforma educativa que contemple transversalmente a questão de gênero, ceder o monopólio da energia elétrica no país e desestabilizar, na medida do possível, o governo Bolsonaro.

A fonte de Morás é uma pessoa do entorno mais próximo do presidente argentino. O vídeo em que ele divulga esse “furo” já tem quase um milhão de visualizações.

Diego Hernández: O que eles conversaram?
Nicolás Morás:
Até agora, sabe-se que Soros propôs ao presidente conseguir um crédito barato e outras facilidades para lidar com a iminente falência da economia argentina. A oferta pode resumir-se a quatro pontos: 1) obter o adiamento do pagamento da dívida com o Fundo Monetário Internacional (FMI) por um período mínimo de 5 anos; 2) interceder na negociação com credores privados, comprando os títulos dos relutantes; 3) instalar no país uma planta industrial da Grifols, empresa farmacêutica especializada em hemoderivados, que está desenvolvendo um plasma anticoronavírus, e da qual Soros é acionista; 4) conseguir uma nova linha de crédito em torno de 20 mil milhões de dólares a ser desembolsada em 2021 para salvar as contas do Estado.

Curiosidade: Dia 22 de outubro de 2019, um explosivo foi encontrado na casa de George Soros, no condado de Westchester, em Nova York. Um funcionário descobriu o pacote e chamou a polícia. O bilionário não estava em casa.

Deixe uma resposta