Ad
Ad
Ad

Reportagem do portal WWD mostra que houve forte recuperação do consumo de luxo pós-auge do coronavírus

Depois de meses de caos e confinamento, a China conseguiu conter o avanço interno do novo coronavírus e começa a voltar à normalidade. O comércio e até pontos turísticos estão retomando a rotina. No último sábado (11/04), uma boutique da Hermès foi reaberta no Taikoo Hui, na cidade de Guangzhou. Segundo informações do WWD, a marca vendeu milhões em produtos no primeiro dia de funcionamento depois do ápice da pandemia.

A grife faturou o equivalente a US$ 2,7 milhões (mais de R$ 14 milhões). De acordo com o portal, peças raras foram mandadas para o local, incluindo uma Birkin – uma das bolsas mais exclusivas do mercado – produzida com diamantes, sob encomenda.

Além disso, moradores da província de Guangdong, que representa a área mais rica do país, compareceram ao espaço para adquirir louças, sapatos, móveis e artigos de couro. Vários, inclusive, movimentaram redes sociais chinesas, como Weibo e Xiaohongshu, ostentando as novidades.

A Hermès não confirmou os números de vendas, mas comemorou a volta das atividades em territórios asiáticos. “A reabertura confirma o compromisso com o sul da China e marca um novo capítulo para a casa parisiense em Guangzhou, onde está presente desde 2004”, comunica a grife francesa.

Ainda de acordo com o WWD, antes da reabertura, a label fechou o ponto físico em Guangzhou, localizado no que era o centro de luxo da cidade, La Perle Plaza. Depois, fundiu essa equipe com sua loja em Taikoo Hui, inaugurada em 2011.

Deixe uma resposta