Ad
Ad
Ad

O fundador da Microsoft prevê que a pandemia acabe no final do próximo ano, em entrevista à revista The Economist.

Milhões de pessoas vão morrer antes que a pandemia de covid-19 termine. O alerta é feito por Bill Gates, co-fundador da Microsoft e um dos maiores filantropos do mundo através da Fundação Bill & Melinda Gates, numa entrevista à revista The Economist.

A maioria destas mortes, disse ele, serão causadas não pela doença em si, mas pela pressão adicional sobre os sistemas de saúde e economias que já estavam a lutar para sobreviver.  O antigo líder da Microsoft lamenta a politização da resposta ao vírus nos EUA, e a propagação de teorias de conspiração – algumas implicando-o – que abrandaram os esforços para conter a propagação da doença. 

Mas há razões para ter esperança. Bill Gates prevê que no final de 2021 uma vacina razoavelmente eficaz estará disponível para produção em massa. Recorde-se que o líder da Microsoft há muito que falava de um vírus, e vacinas, muito antes de o novo coronavírus ter sido detectado pela primeira vez em Wuhan, na China, no final do ano passado. 

A Fundação Gates é fundamental para a aliança global que tenta erradicar a poliomielite através da vacinação de todos e para aliviar o fardo da malária e encontrar uma vacina contra a mesma.  

Passaram já vários anos desde que alertou para que uma nova doença causadora de uma pandemia global era uma questão de se, não quando. 

A fundação já disponibilizou mais de 350 milhões de dólares para a resposta à pandemia covid-19, grande parte dos quais se concentra na redução do seu impacto no mundo em desenvolvimento. Mas é necessário mais. “Precisamos de gastar milhares de milhões para obter a vacina para salvar os prejuízos económicos de triliões de dólares que a covid-19 está a provocar”, sublinha.

Deixe uma resposta