Bangladesh por Juliana Borges

Bangladesh é um país asiático rodeado quase inteiro pela Índia, com uma pequena fronteira terrestre com Mianmar e ao sul onde tem litoral no Golfo de Bengala.
O país está listado entre as economias “Próximos Onze”, um conjunto de nações de grande potencial para figurar entre as maiores economias do mundo junto com os BRICs (Brasil, a Rússia, Índia e China, que já se despediu desse grupo a muito tempo).
É um país pequeno em território (menor que o Uruguai), mas sua população é enorme, uma das maiores aglomerações de pessoas no mundo. A capital Daca (Dhaka) possui 14 milhões de habitantes (2013), e em todo o país são 157 milhões de pessoas, o que o coloca em 7º no ranking de países mais populosos.
Eles são numerosos.
Há severos problemas no país que os impedem de se tornar referência no mercado internacional (pobreza, fome, desigualdade social etc), mas aos poucos Bangladesh conquista seu espaço, principalmente a indústria têxtil, que consegue produzir com preços inferiores aos chineses.
Grandes marcas produzem em Bangladesh, a indústria têxtil do país evoluiu e consegue atender uma parte deste mercado fast fashion, produzindo camisetas, jeans, malhas e shorts da linha básica, produtos com alta demanda mundial.
Abaixo, segue algumas curiosidades e informações preciosas para você compreender melhor Bangladesh:
  • Declarou independência do Paquistão em 1971;
  • A língua oficial é a Bengali গণ প্রজাতন্ত্রী বাংলাদেশ;
  • O esporte preferido do país é o Cricket, e eles são muito bons nisso;
  • A economia é baseada em praticamente duas coisas: agricultura e exportação de roupas;
  • O tigre de bengala é o animal que representa a nação;
  • É um país democrático, todos acima de 18 anos podem votar;
  • Eles possuem um prêmio Nobel (nós ainda não *snif, snif…*), ganho por Muhammad Yunus, um economista bengali;
  • Esse mesmo economista já se encontrou com o Lula em 2008;
  • 86% da população tem o Islamismo como religião, 12% Hinduísmo;
  • Há pena de morte no país.
Em uma nação tão grande como esta não faltam histórias interessantes, as ruas de Dhaka são um caos, um dos piores trânsitos do mundo, a pobreza é imensa, cerca de 26% da população vive com menos de US$ 2,00 dólares por dia, mas nesta bagunça toda também há triunfos.
Há cerca de 5 bilionários no país, compostos por políticos, filhos de políticos e um ou outro empresário.
Um caso comum em economias emergentes (como no Brasil). As indústrias mais importantes do país são:
  • Abul Khair Group: um conglomerado de empresas privadas que atuam em diversas áreas, fabricação de cimento, ferro, tabaco, refinaria etc. Faturamento superior a $36 bilhões e dólares por ano;
  • Akji Group: Conglomedaro de empresas que atua em diversos setores, fabricação têxtil, tabaco, cimento, cerâmicas, alimentos e muitos outros. Faturamento estimado em $4 bilhões de dólares;
  • Advanced Chemical Industries (ACI):Outro conglomerado que atua principalmente nas áreas farmaceuticas, varejo e agronegócio. Faturamento na casa dos $300 milhões de dólares.
Bangladesh é um país em desenvolvimento e uma economia em rápido crescimento. É um dos principais exportadores mundiais de têxteis, vestuário e também peixes, frutos do mar e juta, além de ter indústrias emergentes competitivas internacionalmente em áreas como construção naval, ciências da vida e tecnologia.
Para se ter uma ideia das empresas que compram de Bangladesh, segue abaixo uma lista de grandes nomes que atuam no país:
  • H&M: Uma das maiores varejistas de roupas do mundo, a empresa sueca é uma das principais responsáveis por comprar produtos têxteis no país;
  • Walmart: O maior varejista do mundo também é um grande comprador em Bangladesh, grande parte das roupas vendidas em suas lojas são de origem bengali;
  • GAP: Considerada uma das maiores empresas americanas a produzir roupas em Bangladesh;
  • Zara: Depois que descobriu os “preços baixos” do país asiático, a companhia passou a investir mais em Bangladesh e está se tornando uma grande compradora na região.
A Copa do Mundo do Brasil gerou cerca de $500 milhões de dólares para empresas de Bangladesh através de pedidos de roupas esportivas, um aumento de 14% nas vendas. Uma reportagem da EXAME divulgada em junho de 2014 afirma:
“Uma centena de fábricas tiveram pedidos de camisetas para os torcedores do Mundial. Não temos números exatos, mas devem representar entre 500 milhões e 1 bilhão de dólares”, disse à AFP o presidente do BKMEA (Associação de Fabricantes e Exportadores de Artigos Têxteis de Bangladesh), Mohammad Hatem”.
Bangladesh é portanto uma figura importante no cenário têxtil mundial.Atrás apenas da China como maior produtora de roupas.
Em 2013 o Edifício Raza Plaza (uma fábrica de roupas irregular ) desabou, causando mais de 1.100 mortes.
Isso fez o mundo conhecer Bangladesh e se perguntar “de onde vem minha roupa?”, “será que é de mão de obra escrava?”. Todavia, existem empresas regulares e que são de fato competitivas, cooperando para o desenvolvimento da nação.
Se você gostou de conhecer um pouco mais sobre Bangladesh, saiba que há muito mais a se aprender. É um país de cultura rica e costumes engraçados aos nossos olhos, mas que é capaz de oferecer ao turistas paisagens incríveis e uma grande experiência de viagem.
Muito interessante !!!

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios

Copyrıght 2013 FUEL THEMES. All RIGHTS RESERVED.