Empreendedorismo: 5 dicas para abrir o próprio negócio

Especialistas listam pontos para empreender com sucesso

unnamed-9

 

Para um empreendedor ter sucesso em seu negócio não existe fórmula mágica, mas algumas dicas fundamentais fazem toda a diferença nessa trajetória em busca da realização profissional. Especialistas listam 5 passos para quem quer abrir o próprio negócio e ir além.

Atualmente no Brasil existem cerca de 7 milhões de microempreendedores individuais (MEI), segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatísticas. Mas para o empreendimento dar certo, seja pequeno ou médio porte, é preciso dedicação e estudo.

Fernando Fingers Santiago, sócio do coworking 4Legal, de Brasília, explica que é preciso paciência para empreender, pois os resultados não surgem da noite para o dia.

O especialista ensina os 5 passos para abrir o próprio negócio e empreender:

O primeiro ponto é pensar uma ideia. Precisa tentar fazer isso em uma modelagem de negócio.

Depois disso, a segunda dica é testar. Com amigos e família, para saber se a ideia funciona.

Depois, melhorar esse atendimento, fidelizar os clientes do seu projeto ou empresa.

O quarto passo é ter comunicação, ou seja, ampliar para mais pessoas o seu empreendimento. Naturalmente essas pessoas vão espalhar.

Por último, formalizar. Com maior número de vendas e crescimento, vem a parte administrativa. É preciso formalizar o negócio, registrar e fazer a parte burocrática.

Parece simples? Não é. Empreendedorismo significa muito trabalho e requer dedicação. O lucro nem sempre aparece nos primeiros dois anos. “A gente vê no dia a dia dos empreendimentos que nos primeiros três anos você gasta muita energia e tem pouco retorno financeiro. Só depois consegue retirar uma ‘gordurinha’. Pode ser que isso aconteça antes, mas não é uma regra”, comenta.

E para quem tem um trabalho fixo e quer empreender no horário contrário, a especialista Juliana Guimarães, sócia da pré-aceleradora de projetos Acelere.me, diz que é possível, sim. “Não existe uma receita certa. Se trabalhar à noite ou durante o dia pode dar certo. O fato é que você precisa ter força de vontade. Até que o projeto expanda e você consiga sair do emprego para se dedicar exclusivamente à sua ideia”, pondera.

Juliana completa: “tudo tem um ponto positivo e um negativo. Se é o sonho que você quer e quer que seja realizado, você tem que correr atrás para ele se tornar realidade”, diz.

O ponto positivo em empreender, de acordo com os especialistas, é ter liberdade para trabalhar, mas com ressalvas. “Muita gente acha que empreendedor não tem chefe, mas se você tiver três clientes você tem três chefes… Trinta clientes são 30 chefes. Então isso é um mito. Pode ser que você trabalhe muito mais. Por outro lado, no empreendedor você não precisa prestar conta, trabalha no ideal em que acredita”, reforça Santiago.

OPORTUNIDADE X NECESSIDADE

Os especialistas explicam que há dois tipos de empreendedorismo. O de necessidade e o de oportunidade. Não há receita para saber qual dos dois terá mais sucesso do que outro, mas há uma projeção de qual pode expandir mais.

O empreendedorismo de necessidade é aquele que você faz sem muito conhecimento, estudo e planejamento. Por exemplo, abre uma barraquinha de marmitex e começa a vender na rua. Pode ser que dê certo, pode se que não. É o empreendimento que você faz porque precisa fazer.

Já o empreendedorismo de oportunidade é aquele que você pensa na empresa, em como fazer, estuda, planeja, faz projeções, e depois coloca em prática. Pode ser uma startup, um aplicativo, por exemplo. É aquele que você faz com um objetivo a alcançar e sabe onde sua empresa pode chegar.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios