Carreira nos EUA para empresários

Advogada especialista em imigração fala sobre opções de vistos para investidores e empresários

Muitos brasileiros com ideias inovadoras e vontade de crescer internacionalmente desejam ir para os Estados Unidos viver o famoso sonho americano. Mas como realizar esse sonho? Primeiramente, o empresário deve conhecer suas opções de vistos para chegar ao país. A advogada especialista em imigração Ingrid Baracchini explica as duas alternativas de vistos para alavancar sua empresa e ter abrangência internacional.

Visto EB5: por um valor de 500 mil dólares e válido por até 02 anos. Você investe em um “Regional Center” (que administra projetos de investimento) e recebe o visto EB5, que permite que o investidor e sua família residam legalmente nos EUA. O investimento pode ser direto ou indireto e o investidor precisa comprovar que possui recursos e que não tem antecedentes criminais. Caso o projeto gere, no mínimo, 10 empregos, você consegue trocar o EB5 por um Green Card, com validade de 10 anos e possibilidade de visto permanente. O visto EB5 não exige nenhum conhecimento de línguas. Caso o investimento der certo, a quantia investida é devolvida depois, entre 5 e 7 anos. “O processo do EB5 é uma ótima oportunidade para ampliar sua empresa, pois, conseguindo o Green Card, suas possibilidades de crescer dentro do país são bem maiores do que a de vistos provisórios”, comenta a especialista.

Visto L1: permite a transferência de um gerente ou diretor da empresa brasileira para uma filial nos EUA. O visto para não imigrantes é concedido por um período inicial de 03 anos e pode ser prolongado até 07 anos. Durante esse período, o empresário pode solicitar o Green Card. Diferente do EB5, o L1 não tem um valor exato para investir. Quem define isso é o próprio empresário no planejamento de negócios dele. “O bacana do L1 é que você pode ter uma empresa no Brasil num ramo de atuação e pode ter outra nos EUA com um ramo completamente diferente, desde que você justifique porque que a empresa quer mudar de área”, afirma a advogada Ingrid Baracchini. O visto L1 não permite que o cônjuge trabalhe, apenas estude.

A advogada alerta que para conseguir efetivação nos dois processos é necessário tem um advogado especialista no assunto “A preparação dos documentos é muito importante, se não estiver com um especialista em imigração para te ajudar o processo fica bem difícil”, diz ela. É importante ressaltar que, em ambos os casos, a pessoa precisa ter um plano financeiro. É preciso avaliar preços de imóveis para moradia, escola, no caso de quem tem filhos, e todos os custos para residir no país.

Mais sobre Ingrid Baracchini

Ingrid Baracchini é formada em Direito pela Universidade Paulista (UNIP) e possui 11 anos de experiência na área imigratória em parceria com o advogado Reza Rahbaran, eleito TOP 25 Immigration Attorneys. O escritório representa o cliente brasileiro na requisição de qualquer tipo de visto para os Estados Unidos, além de clientes estrangeiros em qualquer área de demanda no Brasil de cunho imigratório, familiar, cível ou criminal. A advogada faz parte da AILA – Associação Americana de Advogados de Imigração.

Notícias relacionadas

Deixe um comentário

Seu email não será publicado. Campos marcados com * são obrigatórios